Somos Sustentáveis na Produção de Alimentos?

Olá pessoal!

Hoje falaremos sobre o cenário da produção de vegetais no mundo e seus impactos. Este é um cenário que exige muita atenção nossa, pois precisamos pensar no futuro da população e do nosso planeta.

O post será estruturado da seguinte maneira, inicialmente falaremos sobre os fatores envolvidos na agricultura convencional, depois demonstraremos as estimativas de crescimento populacional para os próximos anos e então demonstraremos o cenário que vem sendo desenhado por várias instituições e especialistas.

Vamos lá!

Consumo de água

Em um artigo publicado pela ONU Brasil em 2018, foi demonstrado o cenário do consumo de água no mundo e suas implicações. Algumas informações citadas no artigo:

Atualmente no mundo, a agricultura é responsável por 70% do consumo de recursos hídricos, ou seja, de toda água doce consumida. A maior parte vai para a irrigação das plantações. A participação do setor agrícola aumenta em áreas com maior densidade populacional e falta d’água. O campo é seguido pela indústria, que responde por 20% da água utilizada em atividades humanas. O uso doméstico representa apenas 10% do consumo total, e a proporção de água potável que é bebida pela população equivale a menos de 1%.

Com as transformações do clima e a manutenção de padrões insustentáveis de produção, a poluição e a desigualdade na distribuição vão se agravar, bem como os desastres associados à gestão da água.

Área cultivada

Segundo o Engenheiro agrônomo e pesquisador da Embrapa Soja, Decio Luiz Gazzoni em seu artigo intitulado Como alimentar 10 bilhões de cidadãos na década de 2050? (disponível aqui). As áreas com melhor vocação agrícola e mais próximas dos centros de consumo já foram ocupadas, logo a expansão deverá ocorrer em áreas marginais, com sérias restrições climáticas e/ou edáficas e topográficas, portanto com necessidade de irrigação e/ou intenso aporte de corretivos e fertilizantes, e dificuldades de mecanização. Alternativamente, a área agrícola teria que avançar sobre formações de matas remanescentes, criando um enorme passivo ambiental. Um índice que bem expressa essa limitação é a relação entre terra arável disponível no mundo e a população mundial, que já foi de 38 ha/pessoa em 1960 e hoje situa-se em 19,6 ha/pessoa, uma redução próxima a 50%

Desperdícios

Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) no Brasil, anualmente, 1,3 bilhão de toneladas de comida é desperdiçada ou se perde ao longo das cadeias produtivas de alimentos. Volume representa 30% de toda a comida produzida por ano no planeta.

Previsão de crescimento populacional

No ano de 2009, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) lançou um artigo com o título How to Feed the World in 2050 (Como alimentar o mundo em 2050, em tradução direta). Segundo este artigo, a estimativa é que no ano 2050 a população mundial chegue aos 9,1 Bilhões de habitantes, isso representa um aumento de 34%!!!

Crescimento populacional em países desenvolvidos e em desenvolvimento. Fonte: ONU FAO

Cenário

Agora imagine, como alimentar toda essa população com os métodos tradicionais de cultivo de alimentos? Hoje já causamos impactos muitas vezes irreversíveis ao nosso planeta, imagine isso em escala? A ONU estima um aumento necessário de 70% na produção de alimentos entre o ano 2009 e o ano 2050 para suprir a demanda!!!

Além disso, a expectativa é que 70% de toda essa população esteja morando em centros urbanos, isso representa uma maior complexidade logística para transporte caso se mantenham os métodos de cultivo centralizados empregados atualmente .

Conclusão

Com base no que vimos, você acredita que devemos manter as coisas como estão ou que precisamos repensar nossas técnicas de produção de alimentos?

Diz pra mim nos comentários 😉

Obrigado pela atenção e até o próximo post!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *